CANCELAR






TJSP: tudo sobre o concurso para escrevente

Vunesp é a banca escolhida para as próximas seletivas do órgão

09/08/2017 - por Manoela Moreira

[09 de agosto de 2017]

Você que deseja ser Escrevente Técnico Judiciário do Tribunal de Justiça de São Paulo, mas não se saiu muito bem no último certame, fique ligado! Foi divulgado no Diário Oficial de São Paulo, no dia 06/07/2017, a contratação da Vunesp como banca organizadora para os próximos concursos do órgão que venham a ser realizados durante a vigência desse contrato

A previsão é de que até o final do ano, seja publicado o edital do concurso do TJ SP que irá contemplar as regiões do interior e litoral, que ficaram de fora do último certame que teve sua prova aplicada no dia 02 de julho.

 

[19 de abril de 2017]

Foi publicado o tão aguardado edital para Escrevente Técnico Judiciário do Tribunal de Justiça de São Paulo. A oferta é 590 vagas distribuídas entre a sede na capital e as sedes de Circunscrição Judiciária (CJ) no interior, dentre as quais estão reservadas 5% para pessoas com deficiências e 20% para negros.

Os interessados em concorrer devem se inscrever via internet no site da Fundação VUNESP entre os dias 10 de abril e 17 de maio, mediante pagamento de taxa de inscrição no valor de R$ 68. 

Para saber mais sobre o certame, confira o artigo do professor Renato Saraiva "Saiu o edital para escrevente do TJ/SP. E agora?"

Sobre os requisitos, remuneração e atribuições do cargo:

Para concorrer às vagas, os candidatos deverão apresentar na data da posse diploma de nível médio emitido por instituição reconhecida pelo MEC.

Os contemplados serão remunerados em R$ 5.697,18, já com salário de R$ 4.473,16, auxílio-alimentação de R$ 42 por dia (R$ 924 na média de 22 dias) e auxílio-saúde de R$ 300. A jornada de trabalho dos Escreventes do TJ-SP é de quarenta horas semanais.

Dentre as atribuições do cargo, estão: executar atividades relacionadas à organização dos serviços que envolvam as funções de suporte técnico e administrativo às unidades do Tribunal de Justiça, dar andamento em processos judiciais e administrativos, atender ao público interno e externo, elaborar e conferir documentos, dentre outras.

Em fevereiro, foi aprovado com emendas, o PL 714/2010, que cria 2.419 mil cargos de assistente judiciário, sem prever o local de exercício dos novos servidores. Entretanto, segundo a justificativa da propositura, apresentada em 2010, previa a substituição dos servidores municipais que prestam serviços nos fóruns das comarcas do interior por servidores concursados do quadro do TJ. O provimento dos cargos também será escalonado: 807 em 2017, 806 em 2018 e 806 em 2019.

Sobre o conteúdo programático do concurso:

A avaliação objetiva do certame do TJ SP será composta por 100 questões, divididas em três blocos. O bloco I é composto por 24 questões de Língua Portuguesa. Com 36 questões, o segundo bloco é de noções de Direito e se divide entre as disciplinas de: Direito Penal, Processual Penal, Processual Civil, Constitucional, Administrativo e Normas da Corregedoria Geral de Justiça.

Já o terceiro e último bloco é de conhecimentos gerais, que conta com 40 questões, divididas entre as disciplinas de: Atualidades (4), Informática (16), Raciocínio Lógico (10) e Matemática (10).

Em divulgação no Diário de Justiça Eletrônico desta quarta-feira, dia 19 de abril, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo publicou retificação no edital TJSP com 590 vagas para o cargo de Escrevente Técnico Judiciário.

A mudança se deu no conteúdo programático: a disciplina de atualidades passa a ter 6 questões e a de informática, 14. Na primeira também houve a inclusão dos artigos 1º ao 13; 34 ao 38 da Lei nº 13.146/2015 – Estatuto da Pessoa com Deficiência e Resolução nº 230/2016 do CNJ.

 

Último certame

O último concurso TJSP para escrevente foi realizado em 2014, pela Fundação Vunesp, para as comarcas da 1ª Região Administrativa, que engloba capital e região metropolitana.

Com oferta inicial de 471 vagas, o certame convocou 1.711 aprovados. Mais de três vezes a oferta inicial! A lista de cadastro conta apenas com 78 aprovados que devem ser convocados até maio.

Além disso, o TJSP apresenta déficit de 3.159 escreventes em todo o estado. O número é referente a dezembro de 2016 e já engloba aposentadorias e exonerações.

 

 

O Roberto Mehmeri foi aprovado no concurso para escrevente técnico no TJBA e contou a sua experiência de preparação com o CERS no blog #eusoucers.

"Quando confiamos na preparação oferecida pelos mestres do CERS – principalmente nos cursos de reta final específicos, com muitas resoluções de questões – sentimos um efeito interessante no dia da prova: parece que eles “estão” lá, lendo as questões na famosa tela branca do curso" (leia mais aqui).

 

Dicas de Estudo

Você já leu em diversos lugares que o primeiro passo para começar a estudar para concursos públicos é montar um cronograma de estudos. Mas, como fazer isso?

Você até tenta, anota todas as disciplinas do edital, separa os horários de estudo, mas no final não consegue cumprir o previsto ou acredita que o plano poderia ser ainda melhor.

Então, vamos ao passo ao passo para você iniciar os estudos com um planejamento infalível!

1 Organize sua rotina

- Você sabe como gasta suas horas no dia ou tem a sensação que não tempo para nada? Para começar, você deve colocar no papel todas as suas atividades, o horário e quanto tempo leva em cada um delas.

- Inclua o tempo de deslocamento, refeições, e outras obrigações. Este também é o momento de avaliar se ir à academia cinco vezes na semana é realmente importante, ou se vale a pena diminuir a frequência para conquistar a aprovação.

- Agora, faça uma planilha no caderno ou no computador, divida em dias da semana e horários e preencha com as suas atividades. Você também encontra modelos na internet.

 

2Defina os horários de estudo

- Com a planilha preenchida, identifique e calcule os horários livres em que você pode estudar por dia. Por exemplo, 1h antes de ir para o trabalho ou alguns minutos no horário de almoço.

- Não se preocupe agora como vai estudar apenas nesses 10 minutos vagos, existem técnicas para isso.

- Esticar o estudo à noite pode garantir algumas horas a mais, mas se você sentir que pode prejudicar seu sono ou não consegue render nesse horário, não insista!

Selecionando as matérias para estudar

- Até aqui, tudo muito lindo e fácil! Mas quais matérias estudar primeiro e quanto tempo se dedicar a cada uma delas? De acordo o (último) edital, identifique as matérias que você vai precisar estudar.

- Separe as matérias por peso, grau de dificuldade para você, e disciplinas complementares.

- Você pode até não gostar de alguma matéria, mas se ela é importante para a sua aprovação, você vai precisar dedicar um tempo para ela também. Inclusive mais tempo do que as disciplinas que você tem facilidade.

Veja mais dicas em: Passo a passo para montar um cronograma de estudos para concurso

Por tratar-se de um concurso bastante atrativo, os candidatos devem iniciar a preparação de imediato! Enquanto o edital não é lançado, os candidatos devem estudar com base no concurso anterior. A prova objetiva foi composta por 100 questões, divididas em três blocos:

- Língua Portuguesa: 24 questões;

- Noções de Direito: 36 questões sobre Direito Penal, Processual Penal, Processual Civil, Constitucional, Administrativo e Normas da Corregedoria Geral de Justiça;

- Conhecimentos gerais: 40 questões sobre Atualidades (4 questões), Informática (16 questões), Raciocínio Lógico (10 questões) e Matemática (10 questões).

Raio-x da Carreira de Escrevente Técnico Judiciário: